domingo, 30 de dezembro de 2012

Unlimited Awards - Melhores Discos de 2012 - Segundo os Leitores

Unlimited Awards






Esta seção apresenta listas diversas e seleções dos temas mais variados, feitas pelos editores. Objetiva-se estimular a discussão  e os debates, recebendo as opiniões dos leitores e as colocando em paralelo.



_________________________________________________________________

Sim, já publicamos a nossa lista de melhores do ano, para 2012 - caso você ainda não a tenha visto, não perca mais tempo, clique aqui e discorde. No entanto, ela não passa de uma opinião do editorial da nossa página. Agora, queremos saber a sua opinião, meu caro leitor. 

Para tanto, elaboramos uma lista, com álbuns retirados das mais diversas listas de melhores do ano, rede afora. A lista é a seguinte:

sábado, 29 de dezembro de 2012

Unlimited and Covered - We Don't Need Another Hero (Tina Turner - Northern Kings)



Unlimited and Covered

Esta seção apresenta ao leitor versões de músicas consagradas que foram revisitadas pelas mais diversas bandas do Metal e do Progressivo, transformando-as, ou apenas homenageando os seus grandes ídolos.

________________________________________________________________


Tina Turner - We Don't Need Another Hero



Em 1985, Tina Turner participou do filme Mad Max Thunderdome. Sua atuação nesse filme foi consequência do auge de sua carreira e ganhou o Image Awards de "Melhor Atriz no Cinema". Juntamente com o filme, Tina Turner fez sua versão do tema deste filme, We Don’t Need Another Hero. Não foi apenas um sucesso passageiro, a Acid Queen simplesmente estourou nas paradas de sucesso da época (primeiro lugar em cinco países), causando terremotos de euforia nos fãs com sua voz única, de alcances incríveis e cheia de sentimento. Acha pouco? Pois bem, a música em questão concorreu ao Grammy, o seu clipe ganhou o Globo de Ouro e é uma das mais lembradas quando o assunto é "Música dos Anos 80". A letra, escrita por Terry Britten e Graham Lyle, é ímpar, fala sobre o poder que cada ser tem e o legado que cada um pode deixar, sem precisar de um herói. Nada menos que inspirador, não?

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Recommended Decibels - Diablo Swing Orchestra

Recommended Decibels


Esta seção apresenta bandas e artistas que não são assim tão conhecidos, mas que, segundo a opinião dos editores, deveriam ser. Apresentaremos sugestões de álbuns e grupos que mereciam ter muito mais destaque do que tem. Bandas que estão fazendo um super trabalho e que você precisa conhecer!
__________________________________________________________
Diablo Swing Orchestra - Avant-Garde da Suécia


O Metal, como gênero musical, já é um senhor de respeito, um quarentão, cheio de filhos. O bom e velho Heavy Metal se ramificou nos mais diversos gêneros e, por mais que diversificado que seja, qualquer estilo sempre clama por novidades. E se a missão é inovar, afirmo que, desde muito tempo, não surgia uma banda como o magnífico Diablo Swing Orchestra.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Quebec Magnetic, novo DVD do Metallica, disponível na íntegra

O novo DVD do Metallica, Quebec Magnetic, o primeiro lançado sob o selo próprio da banda,a Blackened Recordings, foi dinspinibilizado, na íntegra, na rede, através do YouTube. O vídeo foi gravado em, Quebec, no Canadá, nos dias 31 de outubro e 1 de novembro de 2009, no Colisée Pepsi na turnê do álbum Death Magnetic, de 2008.

O vídeo, que foi disponibilizado pelo próprio Metallica, ou, pelo menos com a autorização da banda (que ironia do destino), tem altíssima qualidade e mostra, mais uma vez, a melhor performance ao vivo de uma banda, no mundo, atualmente!

O setlist do show é o seguinte:



The ecstasy of gold 
That Was Just Your Life
The End Of The Line 
The Four Horsemen 
The Shortest Straw 
One
Broken, Beat & Scarred 
My Apocalypse 
Sad But True 
Bass solo 
Welcome Home (Sanitarium) 
The Judas Kiss 
Kirk guitar solo1 
The Day That Never Comes 
Master of Puppets 
Battery
Kirk guitar solo 2 
Nothing Else Matters 
Enter Sandman





Faça pipoca, sente na sua melhor poltrona e aproveite:



domingo, 16 de dezembro de 2012

Resenhas - King Diamond - Give Me Your Soul... Please (2007)



Resenhas

Esta seção apresenta análises críticas dos editores, afim de propor debates e discussões – o mais construtivas possível – sobre o álbum resenhado.


A resenha é uma abordagem que se propõe a construção de relações entre as propriedades de um objeto analisado, descrevendo-o e enumerando aspectos considerados relevantes sobre ele. No jornalismo, é utilizado como forma de prestação de serviço. Pode ser texto de origem opinativa e, portanto, reúne comentários de origem pessoal e julgamentos do resenhador sobre o valor do que é analisado.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Resenhas - Unisonic - Unisonic (2012)


Resenhas

Esta seção apresenta análises críticas dos editores, afim de propor debates e discussões – o mais construtivas possível – sobre o álbum resenhado.


A resenha é uma abordagem que se propõe a construção de relações entre as propriedades de um objeto analisado, descrevendo-o e enumerando aspectos considerados relevantes sobre ele. No jornalismo, é utilizado como forma de prestação de serviço. Pode ser texto de origem opinativa e, portanto, reúne comentários de origem pessoal e julgamentos do resenhador sobre o valor do que é analisado.





terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Nova música do Helloween, "Nabatea" disponível para streaming

A banda alemã de Power Metal Helloween, acaba de divulgar, no site Blabbermouth, a faixa de abertura do seu novo disco, Straight Out of Hell, que será lançado no dia 18 de janeiro. 

Nabatea, a faixa, fala da lendária civilização cuja cidade secreta, Petra, só foi descoberta no início do século 20, e é a origem de muitas lendas e mitos. O vocalista do Helloween, Andi Deris foi inspirado a escrever a canção durante um feriado.

domingo, 2 de dezembro de 2012

Unlimited Awards - Top 5 (2012)


Unlimited Awards






Esta seção apresenta listas diversas e seleções dos temas mais variados, feitas pelos editores. Objetiva-se estimular a discussão  e os debates, recebendo as opiniões dos leitores e as colocando em paralelo.



________________________________________________________________

Com o fim do ano, começam a aparecer pela rede, na mídia especializada, e na nem tão especializada assim, as famosas listas de melhores do ano. Estas listas não são mais do que opiniões de pessoas, fãs, críticos, que passam pelo seu próprio julgamento pessoal. Por isso, tais escolhas devem ser encaradas como algo sempre subjetivo e distante de uma verdade absoluta.

E é com a pretensão de instigar um bom debate e colocar a nossa própria opinião à prova, que os editores do Unlimited farão, abaixo, a entrega do renomado e tão desejado troféu do Unlimited Awards. Confiram, comentem, e apresentem suas listas.

________________________________________________________________

5º Lugar: Kamelot - Silverthorn

Uma mudança no line-up sempre coloca qualquer banda em uma situação dura. Esta situação é ainda pior quando é o vocalista que sai do grupo. Muito pior, quando este vocalista é um dos principais da cena atual, considerado um dos melhores do Power Metal, e principal responsável pela ascensão da sua banda a um status de respeito dentro da cena. Foi por esta prova que o Kamelot passou, em 2012. Com a saída de Roy Khan, muitos duvidaram da capacidade do guitarrista Thomas Youngblood, de levar a banda nas costas e, especialmente, encontrar um substituto à altura do norueguês. Para responder a tantas questões, é lançado Silverthorn, a prova de fogo para o novo frontman da banda, Tommy Karevik (ex-Seventh Wonder), que já havia assumido os microfones na turnê especial, na qual Fabio Lione era o vocalista. Silverthorn não é apenas um ótimo disco, não é apenas do mesmo nível dos lançamentos com Khan, é ainda melhor que os dois últimos, destacando-se como um dos melhores da carreira da banda. Karevik não compromete, sendo muito parecido (em alguns momentos, idêntico) ao antigo vocalista, mas composições criativas e cativantes elevam o ânimo do disco. Ótimo álbum, é o Kamelot sem deixar cair o título de melhor banda do Power Metal atual. (8/10)

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Resenhas - Nightwish - Imaginaerum (2011)

Resenhas

Esta seção apresenta análises críticas dos editores, afim de propor debates e discussões – o mais construtivas possível – sobre o álbum resenhado.


A resenha é uma abordagem que se propõe a construção de relações entre as propriedades de um objeto analisado, descrevendo-o e enumerando aspectos considerados relevantes sobre ele. No jornalismo, é utilizado como forma de prestação de serviço. Pode ser texto de origem opinativa e, portanto, reúne comentários de origem pessoal e julgamentos do resenhador sobre o valor do que é analisado.






Nightwish - Imaginareum (2011)


Preciso admitir, eu odeio o Nightwish. Bom, eu os odiava quando mais jovem. Sério, eu nunca consegui compreender o porquê desta banda ter crescido tão vertiginosamente no cenário do Metal, enquanto as bandas que eu tanto gostava não conseguiam um centímetro de espaço na mídia, TV e até rádio. Em algum momento, percebi que boa parte da base de fãs dos finlandeses, não fazia parte da cena do Metal, e essas menininhas de cabelo tingido de preto e lápis de olho, que tentavam parecer com a Tarja – ou com o Tuomas, vai saber – não acompanhou a evolução da banda, que conta hoje, apenas com os fãs mais fiéis, o que ainda representa alguns bons milhões.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Unlimited Awards - TOP 5 (2011)

Unlimited Awards






Esta seção apresenta listas diversas e seleções dos temas mais variados, feitas pelos editores. Objetiva-se estimular a discussão  e os debates, recebendo as opiniões dos leitores e as colocando em paralelo.



________________________________________________________________

O fim de 2012 está chegando, para entrar no clima das listas e eleições de melhores do ano, o Unlimited Decibels relembra a nossa lista de melhores discos do ano que passou. Recordar é viver.


Em 23 de novembro de 2011:

O ano já está no fim, os primeiros releases de 2012 já começam a vagar pelo maravilhoso oceano de bytes que tanto tem prejudicado a indústria musical. E o gênero que mais duramente se agarra ao mercado de Cds, o Metal, pode dizer que 2011 foi um bom ano. Em minha opinião, tivemos discos incríveis neste ano que termina, e também algumas decepções terríveis. A seguir, apresento aos meus queridos amigos, aqueles que ainda guardam um pouquinho da sua atenção para ler o que eu escrevo sobre este estilo tão extremo de música, o incrível Mundo do Metal, os 5 melhores álbuns do ano, para mim, algumas menções honrosas, e outros que acho que valem a pena ser citados. Espero que vocês leiam, comentem e dêem suas opiniões.A vocês, os poucos e bravos admiradores do Metal, dediquei parte do meu tempo escrevendo isto. Escutem os álbuns e divirtam-se.
________________________________________________________________


5 - Amorphis - The Beggining of Times

Por ter saído lá no comecinho do ano, quase nem parece que “The Beginning of Times” é de 2011. O Amorphis é uma das melhores bandas do mundo, na atualidade, na minha opinão. Não é qualquer banda que lança 4 cds de grande nível em seguida. The Beginning of Times pode ser o pior destes 4 últimos CDs da banda, mas o nível é tão alto, que ainda figura entre os 5 melhores do ano.  Tomi Joutsen tem uma voz incrível, única no metal, capaz de atingir dois extremos sem trabalhos. Battle for Light e, especialmente You I Need, demonstram a capacidade da banda de conciliar melodias lindas com um peso absurdo. Excpecional cd. (8/10)

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Unlimited and Covered - Eleanor Rigby (The Beatles - PAIN)


Unlimited and Covered

Esta seção apresenta ao leitor versões de músicas consagradas que foram revisitadas pelas mais diversas bandas do Metal e do Progressivo, transformando-as, ou apenas homenageando os seus grandes ídolos.

________________________________________________________________

Eleanor Rigby – The Beatles



Presente no álbum Revolver, de 1966, Eleanor Rigby demonstra como os Beatles evoluíam, gradativamente de uma banda de orientação pop para um experimentalismo de estúdio mais complexo. É a primeira música da banda a contar com um quarteto de cordas. A letra desta belíssima música é também fortíssima, e trata da solidão, como conceito, e de personagens que vivem uma vida solitária, como a emblemática Eleanor Rigby, cujo nome foi retirado de uma lápide, num cemitério, em Liverpool, onde John Lennon e Paul McCartney se encontraram pela primeira vez.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Resenhas - Therion - Gothic Kabbalah (2007)

Resenhas

Esta seção apresenta análises críticas dos editores, afim de propor debates e discussões – o mais construtivas possível – sobre o álbum resenhado.


A resenha é uma abordagem que se propõe a construção de relações entre as propriedades de um objeto analisado, descrevendo-o e enumerando aspectos considerados relevantes sobre ele. No jornalismo, é utilizado como forma de prestação de serviço. Pode ser texto de origem opinativa e, portanto, reúne comentários de origem pessoal e julgamentos do resenhador sobre o valor do que é analisado.


 Therion - Gothic Kabbalah (2007)


A criatividade reina no cenário Heavy Metal mundial. Alguns artistas, em especial, parecem se desenvolver ao longo dos anos atingindo um status de genialidade fora do normal, e o gênio que escolhi para comentar é líder de uma de minhas bandas favoritas. Quando o sueco Christofer Johnsson criou o Therion, sua proposta era falar sobre paganismo e ocultismo com uma banda de Death Metal bem pesada. Mas, ao longo dos anos, parece que o misticismo e o teor épico das letras foi totalmente incorporado pela musicalidade do grupo.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Recommended Decibels - Hibria


Recommended Decibels


Esta seção apresenta bandas e artistas que não são assim tão conhecidos, mas que, segundo a opinião dos editores, deveriam ser. Apresentaremos sugestões de álbuns e grupos que mereciam ter muito mais destaque do que tem. Bandas que estão fazendo um super trabalho e que você precisa conhecer!
___________________________________________________




Hibria – Power Metal do Brasil

Se você for perguntado qual é a maior banda de Metal do Brasil, hoje, qual seria a sua resposta? Sepultura? Angra? Krisiun? Acho que 80% do pessoal responderia entre alguns desses monstros. Eu, por outro lado, defendo que, no momento, ninguém é maior que o Hibria.

___________________________________________________

Os gaúchos estão na ativa desde 1996 e acabam de lançar o seu primeiro DVD e álbum ao vivo, com um show inteiramente gravado no Shinagawa Prince Stellar Ball – Tóquio, Japão – 15 de maio, 2011, o Blinded by Tokyo, que traz um apanhado destes 16 anos muito bem vividos e tocados. O Hibria faz um Power Metal poderosos com pitadas de Speed e do Heavy tradicional, especialmente no tocante aos maravilhosos agudos de Iuri Sanson, um frontman de respeito. Acompanhado pela dupla de guitarras sempre técnica e envolvente, Abel Camargo e, atualmente, Renato Osorio (antes, Diego Kasper), além da cozinha formada por Benhur Lima e Eduardo Baldo.

O primeiro disco da banda, Defying the Rules, só foi lançado em 2004, após quase 10 anos batalhando no underground portoalegrense. É um álbum fantástico, com uma pegada rápida e sem muitas firulas, um cd de Power com o espírito enérgico do Heavy Metal, vocais que se aproximam, quase sempre aos do Tim ‘Ripper’ Owens (ex-Judas Priest, ex-Iced Earth), mas com uma personalidade própria. Steel Lord on Wheels, hino imediato da carreira da banda, é, de fato sensacional.




Um dos melhores álbuns de estréia que já ouvi na vida. Além de toda a qualidade musical, o inglês dos caras é quase perfeito, e criam um conceito muito legal para acompanhar o seu debut. O disco traz o Heavy Metal com linhas melódicas dos anos 80, a velocidade dos 90 e a técnica dos 2000. Foi lançado no Brasil, EUA, Canadá, Europa Ocidental, Rússia e Países Bálticos, Japão, Taiwan, Coréia do Sul e Hong Kong. Defying é infalível e ganha nota 10!

É já no seu primeiro disco que o Hibria começa a sua empreitada internacional, migrando direto de Porto Alegre para o mundo, especialmente o Japão, sem escalas no resto do Brasil. No país do Godzilla, o álbum Defying the Rules foi o mais vendido de sua categoria durante 6 semanas na cadeia de lojas HMV e foi votado entre os melhores do ano pela critica e leitores da revista japonesa Burrn!

Cinco anos depois, em 2009, saía The Skull Collector, segundo cd da banda, na minha opinião, um pouco mais sofisticado e menos variado e empolgante que o anterior. O disco parece carregar o peso da responsabilidade de suceder o anterior, e essa não é uma tarefa fácil, ainda assim, Tiger Punch é memorável, assim como The Anger Inside. É um álbum mais cadenciado, não demonstra uma enorme evolução, mas não é, nem de longe, pior que o seu antecessor.

Sua incursão japonesa seguia com força total, o HIBRIA foi convidado a participar do maior festival de Metal do Japão, o LOUD PARK, tocando para 15.000 pessoas ao lado de grandes nomes da cena mundial como Judas Priest, Slayer, Megadeth, Arch Enemy, Napalm Death, Anthrax, Childrem of Bodom, Papa Roach, entre outros. Além do Loud Park, a banda abriu o show do Megadeth, na cidade de Nagoya.

Os gaúchos do Hibria no Loud Park, em 2009.



Já em 2011, sairia The Blind Ride, esse sim, a evolução natural da carreira da banda. Com vocais um pouco mais trabalhados e, menos agudos, Iuri Sanson continua roubando a cena, como na abertura Noncoforming Minds e na magnífica Shoot me Down. AS turnê deste álbum incrível levou à inevitável gravação do DVD, no Japão, onde a banda continua soberana. 

É lamentável que um monstro do gênero, como o Hibria, continue carregando a nossa bandeira, no exterior, e não tenha o reconhecimento merecido aqui no Brasil. Mas a banda passa pelo Unlimited e recebe o Selo Recommended Decibels de qualidade!!!
_________________________________________________________________


Resenhas - Soulfly - Conquer (2008)


Resenhas

Esta seção apresenta análises críticas dos editores, afim de propor debates e discussões – o mais construtivas possível – sobre o álbum resenhado.


A resenha é uma abordagem que se propõe a construção de relações entre as propriedades de um objeto analisado, descrevendo-o e enumerando aspectos considerados relevantes sobre ele. No jornalismo, é utilizado como forma de prestação de serviço. Pode ser texto de origem opinativa e, portanto, reúne comentários de origem pessoal e julgamentos do resenhador sobre o valor do que é analisado.




Soufly - Conquer (2008)

Max Cavalera é um dos grandes ícones do Metal nacional, fundador daquela que é, provavelmente, a maior banda brasileira de todos os tempos, o Sepultura. Após sair da banda mineira, em 1996, Max deslocou-se para o Arizona, na terra do Tio Sam, onde fundou o Soulfly, uma banda com o som extremamente pesado, embora não tão ligada ao metal, com uma levada mais Hardcore ou Nu Metal, mesclada a ritmos brasileiros, tribais e world music em geral. No entanto, ao longo dos anos, lançamento após lançamento, o Soulfly teve uma evolução natural em direção ao Thrash Metal que Max faz tão bem, e foi ganhando o respeito da cena Metal, especialmente no Brasil.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Resenhas - Angra - Holy Land (1996)


Resenhas

Esta seção apresenta análises críticas dos editores, afim de propor debates e discussões – o mais construtivas possível – sobre o álbum resenhado.


A resenha é uma abordagem que se propõe a construção de relações entre as propriedades de um objeto analisado, descrevendo-o e enumerando aspectos considerados relevantes sobre ele. No jornalismo, é utilizado como forma de prestação de serviço. Pode ser texto de origem opinativa e, portanto, reúne comentários de origem pessoal e julgamentos do resenhador sobre o valor do que é analisado.




Angra - Holy Land (1996)

Existem alguns álbuns e bandas que marcam um estilo. Uma banda marcante para o metal brasileiro, talvez a maior, ao lado do Sepultura, é o Angra. O primeiro álbum da banda, Angels Cry, de 1993, já era considerado um dos grandes álbuns da história do Metal Melódico, sendo a banda uma das responsáveis pela introdução da música clássica na música pesada mundial. Os garotos inexperientes de São Paulo, sob a batuta do excelente vocalista Andre Matos, parecem ter guardado o melhor da carreira para o álbum seguinte, em 1996, saía do forno um dos melhores CDs de música brasileira, em minha opinião.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Resenhas - Sentenced - The Funeral Album (2005)


Resenhas

Esta seção apresenta análises críticas dos editores, afim de propor debates e discussões – o mais construtivas possível – sobre o álbum resenhado.

A resenha é uma abordagem que se propõe a construção de relações entre as propriedades de um objeto analisado, descrevendo-o e enumerando aspectos considerados relevantes sobre ele. No jornalismo, é utilizado como forma de prestação de serviço. Pode ser texto de origem opinativa e, portanto, reúne comentários de origem pessoal e julgamentos do resenhador sobre o valor do que é analisado.




Sentenced – The Funeral Album (2005)

Não consigo imaginar forma melhor para uma banda que lidou sempre com a idéia da morte e da dor para encerrar as suas atividades, do que lançar um Disco de Funeral. Mais do que isso, a última música da carreira da banda se chama “End of the Road”. Acredito que o simples fato de saber que aquele é o seu último álbum, as últimas notas, as últimas linhas vocais, fazem a banda imprimir em cada música uma emoção ímpar, como se o Sentenced já não fizesse isso, normalmente.

Divido The Funeral Album em três partes: Tristeza, Raiva, e Adeus. O primeiro terço do álbum é uma homenagem aos seus últimos anos de carreira, músicas melancólicas e sentimentais, carregadas de sentimento e notas emotivas. E não esqueçamos das letras escatológicas na voz sempre densa do Ville Laihala. Destaco We Are But Falling Leaves, a dura verdade da vida, que ninguém quer contar aos seus filhos:

We are but falling leaves in the air, hovering down. 
Unaware we will hit the ground 
Scattered fragments of time, 
like blinks of an eye. 
We are... Just when we realize that we are alive... We die.



A segunda parte do disco é aberta por Where Waters Fall Frozen, que deixa a mensagem muito clara: a partir daqui, ódio, fúria, raiva. Sentimentos que também são parte importante das nossas vidas. Esta parte do álbum remete diretamente aos primeiros anos de carreira, quando a banda se dedicava mais a um Death Metal, menos sentimental. Despair-Ridden Hearts, é o meu destaque, embora tão depressiva e bonita como uma música padrão do Sentenced. Vengeance is Mine e Drain Me são as mais pedidas se você deseja algo mais rápido e pesado.

No fim do caminho, temos The End of the Road, se me perdoam o trocadilho. Uma música emocionante até o limite. Recomendo ouvir a sua versão ao vivo, no DVD do último show da banda, o Buried Alive, onde as lágrimas demonstram a emoção real da banda.

Dou quase uma nota máxima para este cd, mas entendo que ele foi feito para os fãs, e não é o melhor começo para se conhecer o Sentenced. Por isso:

Nota 9/10
_________



O Sentenced foi uma brilhante banda que, infelizmente, já não nos presenteia com suas emocionantes músicas, seu criador, Miika Tenkula, suicidou-se e não nos deixou as esperanças de um retorno. Agora, resta o Poisonblack, para quem quer ouvir a voz do Laihala, mas não é a mesma coisa, adianto.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Iron Maiden e Metallica confirmados na edição 2013 do Rock in Rio


Regozijai, amigo headbanger do Brasil e da América Latina, os dois maiores expoentes do gênero estão vindo ao nosso país. A informação foi confirmada pela produção do grandioso Rock in Rio, para o evento do próximo ano.
A edição do Rock In Rio de 2013 no Brasil é a primeira com a parceria de Eike Batista e ocorre nos dias 13, 14, 15, 19, 20 e 21 de setembro.

Os ingressos custarão R$260 reais (não haverá taxa de conveniência). Inicialmente serão disponibilizados para venda 80 mil rockcards (que permitem a posterior troca pelos ingressos). Os demais ingressos serão vendidos em abril. Roberto Medina informou que o evento terá 15.000 ingressos a menos por dia que a última edição.



quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Fim da banda Desolate Ways



Os gaúchos do Desolate Ways acabam de anunciar o encerramento das suas atividades, em definitivo. A banda de Gothic Metal responsável por grandes álbuns, entre os quais, pessoalmente, destaco “Last Moons”, de 2009 divulgou uma nota oficial no seu site, que você confere abaixo.

... Adiamos por muito tempo a notícia que iremos transmitir agora.
Gravamos quatro novas músicas durante o ano de 2011 para um possível novo álbum. Porém, chegamos à conclusão que era hora de encerrarmos nossa caminhada.
Deixaremos estas quatro novas músicas como nosso adeus a todos os fãs, amigos e colaboradores.
Foram muitas as razões que nos levaram a esta decisão. E eu não vejo necessidade de entrar em detalhes. Porém, gostaria de deixar claro que não houve brigas entre nós. Apenas sentimos que era a hora de parar e que cada um deveria seguir caminhos diferentes. Não deixamos de ser amigos como sempre fomos, apenas deixamos de ser uma banda.
Mais uma vez meus sinceros agradecimentos a todos que nos apoiaram durante estes anos.
Que a Desolate Ways descanse em paz.
Elizeu Hainzenreder e Desolate Ways...



Como despedida, o Unlimited deixa para o seu leito, o vídeo de Regret, e deseja boa sorte aos membros.


Ouça "Sacrimony", o novo single do Kamelot


Os estadunidenses / noruegueses do Kamelot acabam de divulgar um trecho do primeiro single do aguardado álbum Silverthorn, a ser lançado ainda este mês. A faixa se chama Sacrimony (Angel of Afterlife) e marca a estreia do novo vocalista da banda, Tommy Karevik (Seventh Wonder). Esta faixa também conta com a participação da vocalista Alissa White-Gluz (The Agonist), confira um trecho da canção no vídeo abaixo.


domingo, 2 de setembro de 2012

Resenhas - Judas Priest - Nostradamus (2008)


Resenhas

Esta seção apresenta análises críticas dos editores, afim de propor debates e discussões – o mais construtivas possível – sobre o álbum resenhado.


A resenha é uma abordagem que se propõe a construção de relações entre as propriedades de um objeto analisado, descrevendo-o e enumerando aspectos considerados relevantes sobre ele. No jornalismo, é utilizado como forma de prestação de serviço. Pode ser texto de origem opinativa e, portanto, reúne comentários de origem pessoal e julgamentos do resenhador sobre o valor do que é analisado.







Judas Priest – Nostradamus (2008)

Um desses álbuns que, por mistério, os fãs detestam. Talvez justamente por não ser um grande fã do Judas Priest, eu goste tanto do Nostradamus, o considere até um dos meus favoritos da banda, perdendo apenas para o hitmaster "Painkiller". Em 2008, a banda vinha de um relativamente bem sucedido retorno às origens, com a volta do vocalista Rob Halford e o lançamento de Angel of Retribution, tenhamos em mente, desta forma, o tamanho da ousadia que encabeçava o projeto Nostradamus.

sábado, 1 de setembro de 2012

Novo single e videoclipe do Rush



O super trio canadense de Rock Progressivo Rush, acaba de lançar um single para a música “The Wreckers”, presente no atual álbum da banda, Clockwork Angels. O single foi lançado em conjunto com um lyric video para a faixa. Simples, porém eficiente, o vídeo imprime bem a letra da canção. Confira o vídeo abaixo.

Mudanças no Line-up do Gamma Ray



A clássica banda alemã de Power Metal Gamma Ray, acaba de anunciar, em entresvista ao site alemão Metal Trails, a saída do baterista Dan Zimmermann, que fez parte da banda desde 1997. A saída de Dan confirma rumores já não tão novos e representa uma grande perda para o Gamma Ray. Além de um exímio baterista, um dos melhores do estilo, Zimmermann contribuía de forma significativa no processo criativo da banda, tendo várias composições nos diversos álbuns do Gamma Ray.

Bem-vindo, amigo, ao Unlimited Decibels

Nosso grupo no Facebook

O Unlimited Decibels foi criado como um grupo, na rede social Facebook (confira, clicando aqui), e, segundo a sua descrição, objetivava manter os membros informados de eventos, tais como: festivais, shows, lançamento de materiais novos, bem como a boa e velha discussão. Muito bem, o grupo acabou tornando-se um espaço de compartilhamento de sons e opiniões sobre música muito proveitoso e atrativo.




Tendo isso em mente, foi tomada a decisão de criar o blog em questão. O blog do Unlimited Decibels servirá como uma ferramenta um pouco menos caótica e mais organizada do nosso grupo, sendo, ainda assim, apenas um braço do corpo original. Pretendemos apresentar, por aqui, comentários sobre shows, resenhas dos mesmos e de álbuns e DVDs, novidades sobre as bandas que gostamos e questões para debatermos.


Por enquanto, o blog estará nas mãos deste que vos digita, Fábio Nobre, e do nosso amigo Cyro Farias, criador do grupo. Espero que seja um saudável espaço para a boa música e que represente bem o nosso grupo.

Keep on rockin’, friends!